Aguarde...
Tribunal Regional do Trabalho - 9ªRegião

Tribunal Regional do Trabalho 9ª Região

Página gerada em: 14/06/2021 21:46:21

Segunda audiência sobre serviço de ambulâncias no sudoeste do Paraná termina sem acordo

Notícia publicada em 10/06/2021

Terminou sem acordo a segunda audiência do dissídio coletivo referente aos profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (SAMU) de Francisco Beltrão e municípios vizinhos. Diante do impasse, o processo deve ir a julgamento pela Justiça do Trabalho, após prazo para manifestação das partes. Apesar do desfecho, a possibilidade de greve foi descartada.

A ação foi ajuizada pelo Consórcio Intermunicipal da Rede de Urgências do Sudoeste do Paraná (Ciruspar), administradora do serviço de ambulâncias naquela região. O objetivo era negociar um novo acordo coletivo junto aos trabalhadores, bem como evitar a greve dos trabalhadores e a eventual suspensão do serviço, considerado essencial.

Na audiência anterior (AQUI), as partes já haviam chegado a uma conciliação parcial sobre a manutenção da jornada de trabalho de 12 horas com 60 horas de repouso.

Na audiência de quarta-feira (9), estavam pendentes questões como o reajuste salarial, vale-alimentação e adicional de insalubridade, dentre outros tópicos. Os trabalhadores chegaram a apresentar pretensão de reajuste de 10% a partir de 2022 – 5% em janeiro e 5% em fevereiro.

Essa proposta de acordo formulada pelos trabalhadores foi considerada razoável pelo vice-presidente do TRT, o desembargador Célio Host Waldraff, que foi quem dirigiu a audiência. Ele endossou o pedido como uma forma de estímulo para o empregador aceitá-la. Todavia, o Ciruspar não concordou.

Saúde
O serviço de atendimento de urgências gerenciado pelo Ciruspar cobre cerca de 200 mil pessoas, distribuídas nos municípios de Francisco Beltrão, Dois Vizinhos, Ampére, Santo Antônio do Sudoeste, Planalto e Realeza.

O vice-presidente do TRT-PR, desembargador Célio Horst Waldraff, ressaltou o cuidado com que deve ser tratada a questão da saúde, especialmente no momento atual de pandemia. Para ele há uma dimensão social, neste processo específico, que não pode ser ignorada.

“Alguma coisa nós já conseguimos, principalmente evitar uma greve neste serviço que é um dos mais penosos. Eu me compadeço com a situação desses trabalhadores. A área da saúde precisa ser tratada com o máximo de carinho pela população”, disse.

Para ver a ata da audiência, clique AQUI.

Número do processo: TRT-PR-DCG 0000511-89.2021.5.09.0000

Para ver a audiência no canal do TRT-PR, no YouTube, clique AQUI.

Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região
Assessoria de Comunicação
Texto: Pedro Macambira
(41) 3310-7313