Aguarde...
Tribunal Regional do Trabalho - 9ªRegião

Tribunal Regional do Trabalho 9ª Região

Página gerada em: 18/03/2019 19:01:11

106 unidades do TRT-PR são contempladas com o Selo de Responsabilidade Socioambiental do TRT-PR

Notícia publicada em 08/03/2019

Não existe limite máximo para o número de multiplicadores - na 12º VT de
Curitiba são três nesta função: Jorge Lamur, Ramile Kalil e Juliana Vilanova

Das cerca de 200 unidades internas do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná, 106 se qualificaram para receber o Selo de Responsabilidade Socioambiental. A certificação, instituída em 2012, é um reconhecimento da Comissão de Responsabilidade Socioambiental por boas práticas na área de sustentabilidade. Além disso, também tem a função pedagógica de incentivar e divulgar estas iniciativas, buscando mudanças e tomadas de consciência.

De acordo com o relatório de 2018 do Setor de Sustentabilidade, 150 unidades se inscreveram no processo de seleção pleiteando o Selo. Estes setores foram avaliados de acordo com um critério de pontuação que dividiu os certificados nas categorias Selo Topázio (um resultado bom) ou Selo Diamante (um resultado excelente).

No âmbito do Tribunal, se destaca o trabalho realizado no interior, onde 56 unidades obtiveram a certificação de sustentabilidade. Na capital, onde funcionam 23 varas do trabalho (o maior fórum trabalhista do Paraná) e ainda conta com a maior parte da estrutura administrativa do Tribunal, foram 43 os setores vencedores do Selo de Responsabilidade.

Já na Região Metropolitana, foram sete as unidades aptas a receber o Selo, o que representa uma proporção elevada, considerando que somente as cidades de Araucária, Colombo, Pinhais e São José dos Pinhais possuem varas do trabalho, que com o Posto de Atendimento de Campo Largo, somando dez locais onde o TRT-PR se faz presente.

A avaliação foi realizada com base no questionário denominado Formulário de Responsabilidade Socioambiental, que mensura as seguintes categorias: a) gestão de resíduos sólidos; b) uso racional de recursos naturais (consumo de copos plásticos, água e energia); e c) inovação em práticas de responsabilidade socioambiental.

Coletor de pilhas e baterias foi uma das iniciativas que chamou a atenção 
da Seção de Responsabilidade

Com a palavra, os multiplicadores

Para a chefe da Seção de Sustentabilidade, Maristela Lima, mais unidades podem atingir o Selo Diamante, se houver incentivo efetivo por parte de juízes, diretores e demais gestores. "Com o suporte e o exemplo dos superiores hierárquicos, os demais tendem a serem mais participativos e perceptivos para questões envolvendo a responsabilidade social e meio ambiente", comenta.

Neste sentido, a multiplicadora Josiane Mendes (VT de Pinhais, Selo Diamante por dois anos seguidos) corrobora esta afirmação. Ela conta que quando chega um novo colega na unidade, ela é a primeira pessoa a conversar, logo após o juiz titular e o diretor de secretaria. "Se não houver o superior hierárquico apoiando, quem sou eu pra falar qualquer coisa?".

O servidor Clemerson Keiber é o multiplicador da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) que é o segundo maior setor no TRT-PR em número de pessoas trabalhando. Mesmo sendo um trabalho voluntário, ele afirma que "a atividade é apenas uma das oportunidades que o Tribunal oferece para nosso desenvolvimento, tanto pessoal como profissional. Neste papel, vamos plantando as sementes, cuidando delas e as esperamos germinar", comenta.

A única VT da Capital a obter o Selo Diamante pelo ano de 2018, a 12ª VT também pode ser tomada como exemplo de como a responsabilidade socioambiental é de todos, extrapolando a figura do multiplicador, do setor ou mesmo dos assuntos internos do TRT-PR. Naquele setor há três pessoas responsáveis pela função.

O servidor Jorge Gino Lamur destaca há uma consciência na equipe mais consolidada, inclusive com a participação da juíza titular Sandra Mara Flügel Assad. "Aqui na 12ª VT podemos destacar uma ação arrecadação de brinquedos e material de higiene para o Hospital Pequeno Príncipe, coletor de pilhas no balcão, e o encaminhamento do relatório mensal de sustentabilidade. Até a juíza titular participa ativamente, sendo uma das voluntárias no Programa de Inclusão Digital Roberto Dala Barba", afirma.

Em Guarapuava, onde o Fórum é composto de duas VTs, também temos um exemplo de que a cooperação e um maior número de pessoas engajadas produz resultados melhores para todos, descartando-se a ideia de concorrência. Naquela cidade, tanto a 1ª VT quanto a 2ª VT obtiveram o Selo Diamante.

"Aqui fazemos um trabalho de longo prazo, com campanhas junto à sociedade, mas o que se destaca é a participação de todos no Fórum. Juízes e servidores das duas VTs fazem ações conjuntas. Se cada um fizesse um pouquinho, faria uma maior diferença", pondera a servidora da 2ª VT de Guarapuava Silvia Maria Alves Martins.

Ana Valéria Kowalczuk é multiplicadora do Gabinete da desembargadora Nair Maria Lunardelli Ramos (atualmente na vice-Presidência do Tribunal) há três anos. A servidora atribui o Selo Diamante ao cuidado em se capacitar, através de atividades da EJ e do Setor de Sustentabilidade, assim como da devida orientação dos demais colegas. "Sem o entusiasmo e estímulo dos superiores, especialmente da própria desembargadora Nair, não teria sido possível o alcance do selo Diamante e consolidação das boas práticas socioambientais" finaliza.

Instituído em 2012, o Selo chega à sua 8ª edição

O Selo de Responsabilidade Socioambiental

Nas últimas décadas o ser humano adquiriu mais consciência sobre as consequências de suas ações, que interferem direta ou indiretamente no equilíbrio social e ambiental.  Somos, portanto, todos interconectados e corresponsáveis. Foi para transformar esta compreensão em ação e prática que foi instituído o Selo de Responsabilidade Socioambiental, a partir da Portaria JP 78/2012.

O Selo de Responsabilidade Socioambiental é uma certificação que reconhece, estimula e divulga as práticas inovadoras na área de sustentabilidade das unidades Tribunal Regional do Trabalho do Paraná. Mais que um simples reconhecimento, o Selo é uma forma em que é possível mensurar o nível de comprometimento do Tribunal e das pessoas que fazem a instituição com questões que dizem respeito a todos.

Outra função específica do Selo é a de informar e educar acerca de uma gestão inteligente dos recursos naturais e públicos. Isto significa uma ação voltada não apenas para a construção de valores, mas também uma forma de que a ideia da sustentabilidade seja uma prática permanente, que não se restringe apenas Tribunal, mas que seja levada para a vida das pessoas, mesmo fora do ambiente profissional.

Portanto, a ideia do Selo não é a de uma competição entre setores, mas um monitoramento de como as pessoas, as unidades e, principalmente, de como a própria instituição TRT-PR lida com questões coletivas socioambientais, já que toda atividade no mundo moderno causa impactos na sociedade e no equilíbrio entre o meio e os seres vivos.

Unidades Selo Diamante

  1. 12ª VT DE CURITIBA
  2. 1ª VT DE GUARAPUAVA
  3. 2ª VT DE GUARAPUAVA
  4. VT DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON
  5. VT DE PINHAIS 
  6. GABINETE - DESEMBARGADOR CÉLIO HORST WALDRAFF
  7. GABINETE - DESEMBARGADORA NAIR MARIA LUNARDELLI RAMOS
  8. STI - SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO


Assessoria de Comunicação do TRT-PR
Fotos: Letícia Neco

(41) 3310-7309
ascom@trt9.jus.br