Aguarde...
Tribunal Regional do Trabalho - 9ªRegião

Tribunal Regional do Trabalho 9ª Região

Página gerada em: 29/02/2024 15:56:27

Interiorização do projeto Roberto Dala Barba instala sala de inclusão digital em escola de Palmas

Notícia publicada em 05/01/2023
Os equipamentos entram nos projetos de cidadania e preparação
dos estudantes para a realidade do mundo do trabalho

A cidade de Palmas, no Sudoeste do Paraná, é a primeira do interior a receber estrutura do projeto de Inclusão Digital Roberto Dala Barba, do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (TRT-PR). Em dezessete anos de atividade, o projeto havia tido atividades em Curitiba, com atendimento a crianças de Almirante Tamandaré, município vizinho, e dois cursos realizados em Maringá, em 2011 e 2012, utilizando a estrutura do próprio fórum trabalhista.

Trinta computadores foram doados pelo Tribunal, com os respectivos monitores, além das cadeiras, mesas e outros móveis e refrigerador de ar necessários para instalar a sala de inclusão digital no Colégio Estadual Padre Ponciano José de Araújo, em Palmas. No último dia 7, a presidente do Tribunal, desembargadora Ana Carolina Zaina, visitou as instalações, que serão utilizadas no próximo ano letivo, quando estiverem concluídas as ligações elétricas e o sistema lógico digital. A presidente da Comissão de Responsabilidade Socioambiental do TRT, desembargadora Ilse Marcelina Bernardi Lora, responsável pelo projeto, não pode comparecer.

As desembargadoras Ana Carolina Zaina e Rosemarie Diedrichs
Pimpão receberam, em nome do Tribunal, homenagens e
agradecimentos da equipe pedagógica e do vereador Marcos
Antônio Gomes

A desembargadora Ana Carolina agradeceu à direção da escola, aos professores e ao juiz do Trabalho de Palmas, José Vinicius de Sousa Rocha, assim como ao vereador Marcos Antônio Gomes e à pedagoga Silvana Ribas, ex-vereadora, pelo empenho para a concretização do plano traçado no primeiro semestre, durante visita realizada pela presidência do Tribunal à Escola no primeiro semestre.

A parceria, porém, vem desde 2019, quando a desembargadora Rosemarie Diedrichs Pimpão, ex-presidente do Tribunal e coordenadora regional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem, foi homenageada pela Câmara de Vereadores de Palmas. Na ocasião, as duas magistradas conheceram a realidade da escola e iniciaram conversações que resultaram na doação que equipou a sala de inclusão digital.

diretora do Colégio Padre Ponciano, Indianara Musselini, com
as desembargadoras Rosemarie Diedrichs
Pimpão e Ana Carolina Zaina

A pedagoga e ex-vereadora Silvana Ribas com
as desembargadoras Rosemarie Diedrichs
Pimpão e Ana Carolina Zaina

O projeto Dala Barba é realizado por servidores voluntários do TRT, no âmbito da Comissão de Responsabilidade Socioambiental, presidida pela desembargadora Ilse Marcelina Bernardi Lora. Tem a missão de ensinar noções básicas de informática, cidadania e direitos trabalhistas a jovens em situação de vulnerabilidade. Em Palmas, funcionará em parceria com o Instituto Federal do Paraná (IFPR) e terá coordenação da Vara do Trabalho local, tendo à frente o juiz titular da unidade, José Vinicius de Sousa Rocha. “Ajudará nossos adolescentes na expansão de seus horizontes e na construção de seus futuros, com conhecimento, vontade e dedicação”, diz a pedagoga Silvana Ribas, ex-vereadora da cidade, que atua no Colégio Padre Ponciano.

O vereador Marcos Antônio da Silva Gomes, que também atuou para concretizar a doação, explicou que o bairro Lagoão, onde se situa a escola, é o mais populoso da cidade e tem muitos moradores em situação de vulnerabilidade. “Por isso, a gentileza do Tribunal é muito importante. A ação contribuirá para o crescimento da escola e dos alunos. Um laboratório de informática bem equipado despertará nossos estudantes para a modernidade”.

Enquanto são instaladas as redes de eletricidade e dados, a diretora do colégio, Indianara Musselini, e a equipe de professores estão elaborando um cronograma de uso do espaço e dos equipamentos. A educadora destaca que a escola possuía apenas 20 computadores para um universo de mais de mil alunos. Os 30 novos equipamentos, mais o mobiliário adequado, darão impulso na utilização da informática na formação dos estudantes. Ela explica que o conteúdo de matérias como Inglês, Português e Matemática tem versões em plataformas digitais, o que atrai os estudantes. “O computador é uma novidade e desperta neles a vontade de ir ao colégio, porque o mundo da informática é muito diferente para eles. Eles não têm acesso a esse mundo”, comentou a diretora.

A doação dos computadores proporcionará, ainda, a realização de mais um projeto do Colégio Estadual Padre Ponciano José de Araújo: um curso técnico de desenvolvimento de sistemas. A atividade está prevista para 2023. “Os equipamentos vieram em um momento perfeito”, declarou Indianara Musselini.

Rosas

Em visita ao Colégio Padre Ponciano, no último dia 7, as desembargadoras Ana Carolina Zaina e Rosemarie Diedrichs Pimpão foram surpreendidas por uma recepção, pela direção da Escola, professores e alunos, que cantaram a "Um pouco de perfume”, composição pela irmã Judith Junqueira Villela. “Fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas”, diz a canção. Foi uma “singela homenagem às honrosas colaboradoras”, disse o professor de Educação Física Amadeu Luiz Lovo Mendes, que cantou com os estudantes Kelvin Souza Simões e Nicolas dos Santos de Candido, que com ele aprenderam a tocar violão.

Redação

“O novo laboratório garantirá que mais cursos, ferramentas, competências e habilidades sejam desenvolvidas com nossos educandos, e a inclusão digital e social estejam mais presentes na formação de uma juventude sedenta por atenção, condição, espaço, oportunidade e respeito”, disse a professora de Português Juliana Schainer.

A professora orientou os alunos que participaram de um concurso de redações lançado na escola pelo TRT-PR, no primeiro semestre, no âmbito do Programa de Combate ao Trahalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem, com o tema “Quem emprega uma criança, mata uma infância”. O concurso foi direcionado aos alunos do 9º ano, que se prepararam para ele com leituras e debates. O vencedor foi Jaisson Alceni Souza do Amaral, premiado com um tablet, doado por um cidadão benemérito de Palmas.

Jaisson Alceni Souza do Amaral, autor da redação,
foi premiado com um tablet, doado por um cidadão
benemérito de Palmas

Redação

Crianças na escola

Jaisson Alceni Souza do Amaral
Colégio Estadual Padre Ponciano José de Araújo
Professora Juliana Cristina Rossato Schrainer

O Brasil é um lugar em que nem todos conseguem emprego. Assim, os pais desempregados costumam mandar os filhos irem às ruas pedir emprego ou até mesmo esmolas. Dessa forma, as crianças são privadas de irem à escola, pois precisam garantir o alimento para a sua família. Isso irá prejudicá-las no futuro, porque não conquistarão um trabalho de sucesso. Sem estudo, o ciclo da pobreza se repete e as taxas de desemprego no país aumentam cada vez mais. É preciso mudar essa situação, para que esses jovens tenham direito à oportunidade e à dignidade.

Diante desse quadro, o Brasil nunca alcançará o desenvolvimento almejado. Uma das consequências da falta de estudo pelos jovens é a ausência de pessoas capacitadas no mercado de trabalho. Ainda, as empresas, atualmente, utilizam as máquinas no lugar do serviço humano e, além disso, muitos trabalhadores não têm conhecimento tecnológico, o que contribui para que a as porcentagens de brasileiros desempregados aumentem diariamente.

Por fim, no Brasil há muita corrupção. Muitos milhões que foram roubados por candidatos a cargos governamentais fazem falta para o povo. Além disso, o dinheiro público não é distribuído de forma igualitária. A nação brasileira tem muito potencial, não deveria haver tanta miséria, nem criança alguma ser obrigada a trabalhar para sobreviver. Os pais deveriam ter condições de oferecer uma infância digna aos seus filhos. As crianças precisam ter o direito de moradia, alimentação, saúde, educação e diversão. Criança não é escrava, é o futuro do país.