Aguarde...
Tribunal Regional do Trabalho - 9ªRegião

Tribunal Regional do Trabalho 9ª Região

Página gerada em: 18/08/2022 07:11:30

Crianças e adolescentes são juízes e advogados por um dia, no Centro de Memória

Notícia publicada em 21/06/2022
Alunos visitam a mostra sobre os 80 anos da Justiça do Trabalho

O último livro que eu li foi sobre a história do Direito”, contou a estudante Ana Julia Barreto, de 10 anos, que cursa a 5ª série na Escola Municipal Ensino Fundamental Papa João XXIII da capital. A jovem, que pretende ser advogada, visitou a sede do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR), em Curitiba, e disse que a experiência foi “uma aula de advocacia”.

Ana Julia foi um dos 65 estudantes, entre crianças e adolescentes, que estiveram no TRT-PR na sexta-feira, 10 de junho. Os jovens, da 5ª e 6ª séries, estudam na mesma escola.

O objetivo da visita foi explicar aos alunos o papel da Justiça do Trabalho, o funcionamento do Tribunal e a importância da conscientização contra o trabalho infantil. O Desembargador aposentado Márcio Gapski, o Juiz Luciano Augusto de Toledo Coelho, a pedagoga Luíza Helena Nascimento, a professora Ana Cristina Zanon de Araujo, do Núcleo Regional de Edução (NRE) do Portão, e a servidora Andreia Baltazar Dias, do Centro de Memória, deram as explicações. Perguntados pela servidora se queriam ser magistrados, metade da turma levantou a mão.

Os jovens estiveram no Plenário Alcides Nunes Guimarães, onde ocorrem as sessões da Seção Especializada e as audiências de dissídio coletivo, e no Plenário 1, onde acontecem as sessões da 1ª, 3ª e 5ª Turmas. Vestiram toga, sentaram-se nas poltronas onde atuam os Desembargadores e ocuparam a tribuna, de onde os advogados fazem a sustentação oral. Microfone ligado, fizeram a simulação de uma sessão de julgamento.

Os jovens conheceram o Centro de Memória e a exposição em homenagem aos 80 anos da Justiça do Trabalho, onde viram e se divertiram com os objetos utilizados no passado pelo Tribunal, como uma máquina de escrever Olivetti manual, datada de meados do século passado, e um relógio ponto.

Melissa Rosa, que cursa a 5ª série, achou os equipamentos “de antigamente muito bonitos”. Ela achou divertida a experiência de datilografar em uma máquina de escrever elétrica Olivetti Praxis 201, da década de 80. Sobre o futuro, Melissa ainda está em dúvida: quer ser veterinária ou advogada.

Terminada visita, o grupo que visitou o Regional no período da tarde não queria ir embora. Estavam simulando sessões de julgamento cujos temas eles próprios propuseram. A maioria disse que quer voltar ao Tribunal.

Da tribuna, estudante simula sustentação oral
Máquina de escrever manual, uma curiosidade divertida para os 
estudantes

Alunos conhecem telefone utilizado no passado pelo TRT-PR
Ana Julia Barreto e Melissa Rosa com os colegas

Servidora Andreia Baltazar Dias explica o funcionamento da
Justiça do Trabalho

Sustentação oral

A estudante Emanuelle