Aguarde...
Tribunal Regional do Trabalho - 9ªRegião

Tribunal Regional do Trabalho 9ª Região

Página gerada em: 25/05/2019 15:14:26

Sustentabilidade e igualdade de gênero pautaram os debates do 4º Café Filosófico no TRT-PR

Notícia publicada em 13/03/2019

Desembargadora Marlene Suguimatsu, que fez a mediação do
debate, entre a advogada Silvana Niemczweski (à esquerda)
e a juíza Mylene Pereira Ramos (à direita)

"Igualdade de gênero para o desenvolvimento sustentável" foi o tema escolhido para os debates realizados durante o 4º Café Filosófico, que aconteceu na terça-feira (12), no foyer da sede do TRT do Paraná, em Curitiba. O encontro, promovido pelo Programa Trabalho Seguro e pela Comissão de Responsabilidade Socioeconômica em Ambiental do Tribunal, colocou em pauta a relação entre sustentabilidade e igualdade de gênero.

Na abertura do evento, o gestor nacional do Programa Trabalho Seguro, juiz Leonardo Vieira Wandelli, lembrou os motivos pelos quais foi convencionado que o dia 8 de março seria o Dia Internacional da Mulher, ressaltando que diversos eventos importantes para este marco estão relacionados às lutas das mulheres por igualdade de condições de trabalho.

O gestor regional do programa, juiz Marcus Aurelio Lopes, falou sobre o formato escolhido para os debates, que, de acordo com ele, favorece a troca de ideias e a apresentação de diversos pontos de vista. Os convidados foram distribuídos em pequenas mesas redondas, de onde assistiram à exposição de duas painelistas e puderam participar ativamente das discussões.

A desembargadora presidente do TRT do Paraná, Marlene T. F. Suguimatsu, que fez a mediação dos debates, iniciou os trabalhos com uma breve contextualização do tema, esclarecendo que a ligação entre desenvolvimento sustentável e igualdade de gênero se estabelece quando nos referimos à sustentabilidade de dimensão social, ou socioambientalismo.

"Dar visibilidade, gerar oportunidades iguais, reconhecer o papel feminino na construção, ou na modificação da sociedade, talvez seja um dos aspectos essenciais desta sustentabilidade social de que hoje se fala", declarou a magistrada.

A primeira painelista a expor suas ideias foi a juíza Mylene Pereira Ramos, do TRT-SP. Ela chamou a atenção para fatores históricos que teriam contribuído para a perpetuação da desigualdade de gênero no mundo.

"Essa incapacidade de ver nas mulheres sua competência profissional e intelectual advém de um histórico de submissão e até mesmo de isolamento das mulheres com relação aos seus direitos mais subjetivos, essenciais. Este fenômeno, que é a desigualdade de gênero, não acontece apenas hoje, ele decorre de uma história", afirmou.

A advogada Silvana Cristina de Oliveira Niemczweski, segunda painelista, mencionou avanços já alcançados em relação ao tema, como a criação da Lei Maria da Penha e da Lei de Importunação Sexual, mas observou que ainda existe um grande problema cultural que precisa ser enfrentado.

A presidente do TRT-PR, Marlene Suguimatsu (terceira da direita
para a esquerda),
entre gestores do Programa Trabalho
Seguro,
painelistas e magistrados do Tribunal

"Muitas mulheres ficam reféns de uma sociedade que fecha os olhos para esta realidade. Sabemos que o desenvolvimento só será sustentável quando beneficiar igualmente homens e mulheres", destacou.

Também sobre a necessidade de promover uma transformação cultural para que seja alcançada a igualdade de gênero, a desembargadora presidente do TRT do Paraná afirmou que oferecer uma educação de qualidade pode contribuir para a eliminação dos papéis de gênero já estabelecidos.

"Precisamos de um sistema de educação que ensine meninas a abrirem suas próprias portas, que não ensinem meninos a criar barreiras para impedir essas meninas de abrirem suas próprias portas", concluiu.

Pacto Global

Promover a igualdade de oportunidades de gênero é um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Como signatário do Termo de Adesão ao Pacto Global da ONU desde março de 2018, o Tribunal Regional do Trabalho do Paraná reafirma o seu compromisso permanente com a obtenção da equidade de gênero na Instituição.

O registro do evento pode ser visto em vídeo, no canal do TRT-PR no YouTube, ou em fotos, por meio do Flickr.


Assessoria de Comunicação do TRT-PR
(41) 3301-3713
ascom@trt9.jus.br